futebol

Após empate no Baianão, Cláudio Prates defende grupo de transição do Bahia

Em jogo marcado pela falta de criatividade e erros individuais, o Bahia voltou a tropeçar pelo Campeonato Baiano, diante do Vitória da Conquista, na tarde deste domingo, 7, no estádio Lomanto Júnior, no Sudoeste da Bahia.

O empate por 0 a 0 marcou o segundo jogo sem gols do Tricolor, que conquistou apenas uma vitória em quatro jogos pelo estadual. Após a partida, em entrevista coletiva, o técnico do clube, Cláudio Prates, citou alguns fatores que colaboraram com o resultado.

“No primeiro tempo, conseguimos controlar o jogo. Fizemos todas as ações que realizamos nos últimos jogos, mas a partir do segundo tempo, tivemos dificuldades de finalização e criação que nos desse algum espaço. De novo tivemos algumas chances perdidas, em um jogo muito difícil, com muito calor em Conquista e com um campo que prende muito a bola”, pontuou.

Olho no clássico

Após atuar em todas as partidas do clube no ano, entre Baianão e Copa do Nordeste, o time de transição agora terá uma folga na tabela. Fora do G-4 do torneio estadual, o time de Prates terá pelo frente o Vitória, no clássico Ba-Vi, no dia 17, às 19h30, no estádio de Pituaçu, para se recuperar na competição.

Questionado sobre qual postura o time adotará no duelo, Prates garantiu que há uma cobrança interna pela evolução de desempenho e que a oscilação no início do ano é normal.

“Sabíamos dessa sequência, que seria muito difícil, em termos de logística, de desgaste para os meninos, que teríamos pouco tempo para treinar. A situação normal de uma equipe de transição, de jovens, é a oscilação de um jogo para o outro. Cobrei internamente, nossa relação é sincera, em relação à evolução, deveríamos estar melhores. Agora teremos um tempo bom para mostrar condições até o clássico”, afirmou.

 

Por: A TARDE

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo