ocorrências policias

Operação da PF aperta cerco contra fraudadores de auxílio emergencial

A Polícia Federal cumpriu dois mandados de prisão temporária e outros quatro de busca e apreensão em uma operação de combate às fraudes em benefícios emergenciais, na manhã de ontem (17), em Salvador. De acordo com a PF, os mandados estão vinculados a três inquéritos, que investigam indícios de fraude em ao menos 98 contas. Essas fraudes geraram um prejuízo de R$60.600,00 aos cofres públicos. Esse montante pode ser ainda maior, porque a análise dos valores foi feita em um período de apenas  oito dias. De acordo com a delegada Suzana Jacobina, somente na primeira etapa  os valores chegaram a quase R$600 mil aos cofres públicos.

“O objetivo da operação da Sexta Parcela é combater ações e organizações criminosas que fraudam os benefícios emergenciais criados em 2 de abril de 2020 para suprir financeiramente os vulneráveis economicamente no momento  da pandemia do coronavírus. Focamos nas buscas nos smartphones   dos fraudadores , aparelhos de telefonia móvel. As fraudes estão ocorrendo no ambiente virtual, por isso é muito importante extrair informações para perícias”.

O prejuízo segundo a delegada foi subdimensionado porque análise foi realizada em 8 dias , “estão subdimensionados, sabemos que o resultado que tivemos em operação anterior deflagrada na 1ª parcela o prejuízo inicial era calculado em R$ 35 mil e após as investigações avançarem chegamos ao prejuízo de R$ 580 mil recentemente”.

Os dois fraudadores presos ontem são parentes e agiam em parceria e não tem antecedentes criminais. Também não têm ligação com fraudadores de outros estados. Eles também não atuam na área de novas tecnologias. As investigações continuam para chegar aos demais comparsas. Os bairros da atuação foram Cidade Nova, Pernambués e Centro da cidade. “Os dois presos foram interrogados e colaboraram com as investigações. Confessaram e para êxito do prosseguimento da operação indicaram o mentor da fraude e as diligências continuam para localizar o responsável”, disse Jacobina.

Prejuízos

Suzana Jacobina ainda destacou que “é muito importante essa operação para combater e paralisar ações criminosas especializadas nestas fraudes, porque em março de 2021 foi estimado pelo Tribunal de Contas da União que 7,3 milhões de auxílios emergenciais foram indevidamente pagos. Um prejuízo de cerca de R$54 bilhões para a União”.

O auxílio emergencial começou em abril de 2020 e segundo Jacobina, as fraudes começaram no mês seguinte. Os dois presos estão detidos temporariamente na sede da Polícia Federal por cinco dias e responderão  processo por furto mediante fraude qualificada que é o Artigo 5º e  parágrafo 4º do código penal combinado com o crime de associação criminosa, artigo 288 do código penal. Os presos também tiveram bloqueio bancário e afastamento de sigilo bancário. Nas ações  criminosas estão envolvidos três homens e uma mulher, sendo três trabalhadores e um desempregado. O perfil deles é conhecer muito as novas tecnologias e o mentor a princípio é um empresário.

Por: Tribuna da Bahia

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo