destaqueEconomia

Após aumento do preço da carne, Bahia tem pior abate de bovinos em 15 anos; produção de ovos e frangos batem recorde

O aumento de preço da carne parece ter refletido no prato dos baianos: segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IGBE), o abate de bovinos no estado foi o menor para um segundo semestre desde 2006, mesmo sendo maior do que o semestre anterior. Por outro lado, o consumo de frangos, suínos e ovos fez o estado bater recorde.

CARNE

De acordo com o órgao, no 2º trimestre de 2021, foram abatidas 224.790 cabeças de bovino na Bahia, 4% a mais que o 1º trimestre do ano, porém 7,2% a menos que o 2º trimestre de 2020. Foi o menor resultado para o estado para um 2º trimestre em 15 anos, desde 2006. No Brasil como um todo, o resultado foi o menor resultado para um 2º trimestre desde 2011. A Bahia é o 11º maior produtor de carne bovina do país, representando 3,2% do abate nacional.

FRANGO

Por outro lado, de abril e junho, o abate de frangos no estado foi de 33.938.968 animais, o maior desde 1997, quando o IBGE começou a calcular este dado. Esse número é 2,2% acima do antigo recorde, que havia sido registrado no 1º trimestre deste ano (33.209.050). A Bahia é o nono maior produtor de frangos do país, responsável por 2,2% do abate nacional.

PORCO

Já em relação aos suínos, no 2º trimestre de 2021, 48.422 animais foram abatidos na Bahia, também o maior desde 1997. O recorde anterior do estado tinha sido no final de 2020, quando 44.822 animais haviam sido abatidos. No Brasil, o abate de suínos também bateu recorde no 2º trimestre de 2021, com 13,040 milhões de animais abatidos. A Bahia é o 10º maior produtor do Brasil, com 0,4% do total de suínos abatidos no país.

OVOS

A produção baiana de ovos de galinha no 2º trimestre de 2021 também bateu o recorde na série histórica do IBGE, iniciada em 1987, ficando em 18,2 milhões de dúzias. Este número representa um aumento de 1,0% frente ao recorde anterior, do começo deste ano, quando a produção foi de 18,0 milhões de dúzias. A Bahia fica em 12º lugar neste ranking de produção, com 1,8% do total brasileiro.

LEITE

A aquisição de leite cru na Bahia foi de 147,0 milhões de litros no 2º trimestre de 2021 – uma queda de 7,9% em relação ao começo do ano, mas um crescimento de 9,1% frente ao 2º trimestre de 2020. Este foi o melhor resultado para a produção baiana de leite em um 2º trimestre desde 1997, quando se iniciou a série histórica. A Bahia é o sétimo maior produtor de leite do Brasil, respondendo por 2,5% do leite adquirido no país.

 

Por: Aratu ON

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo